ENTREVISTA: no dia mundial do Meio Ambiente, conversamos com a Eng. Ambiental Elizene Sarmento

Acessos: 321

Nesta sexta-feira, 05 de junho, é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente. Uma data que se iniciou em 1972 e passou a ter uma representatividade grande em prol da luta por um mundo com consciência ambiental.

Para marcar este dia, o CREA-PA realizou uma entrevista especial com a Presidente da Associação dos Engenheiros Ambientais do Sul e Sudeste do Pará, Elizene Sarmento. Em um breve bate-papo ela fala sobre o significado da data, as dificuldades em conscientizar a respeito do tema, bem como o que espera para o futuro da área.

elizene1.jpg

A entrevista completa você confere abaixo.

CREA-PA: Qual a importância e significado dessa data de hoje, o dia do meio ambiente?

ELIZENE SARMENTO: Essa data começou a ser celebrada em 1972, momento em que ocorreu o 1º Fórum Mundial do Meio Ambiente em Estocolmo, na Suécia. Durante essa conferência foi proposto que fossem criadas profissões relacionadas ao estudo e aplicação de tecnologias que tivessem como objetivo a proteção ao meio ambiente, surgindo na época o termo “Desenvolvimento Sustentável”, conceito hoje é bastante abordado.

CREA-PA: Ainda existe muita gente, principalmente na engenharia (que é a área do nosso conselho), que considera como segundo plano a preocupação com o meio ambiente?

ES: Mesmo com empenho de várias áreas de atuação da engenharia, o conceito ambiental ainda está longe de ser aceito de forma unânime. Esse fato deve-se muito à cultura e à falta de aplicação de políticas voltadas para o interesse coletivo, aliados à necessidade da utilização de forma sustentável dos pilares ambientais, sociais e econômicos.

CREA-PA: Mesmo que ainda esteja longe da ideal, acredito que a conscientização ambiental, hoje, esteja melhor do que tempos atrás. O que você considera que mais atrapalha pra que ela ainda não esteja no nível ideal?

ES: É notório a necessidade de ações compartilhadas e pontuais que possam trabalhar de forma mais eficiente o conceito ambiental. A mudança ainda passa por uma transformação que necessita ser sentida com mais rigor, com intuito de transparecer para a sociedade a ideia de congruência e empatia com as questões ambientais.

CREA-PA: Você como presidente da associação de engenheiros ambientais do sul e Sudeste do Pará representa toda uma classe. Qual o futuro que você vê para a engenharia ambiental no Pará?

ES: Aliando a todos os embates políticos e ideológicos de novas vertentes ambientais, a profissão de Engenheiro Ambiental tem destaque na promoção de ações de cunho ambiental, versando os conceitos de desenvolvimento sustentável com o intuito da transformação e melhorias que possam ser sentidas pela atual e futura geração.

Essas ações devem ser coordenadas e ganham força quando formuladas por uma associação forte e determinada a defender os interesses de uma categoria. Por isso é muito importante que a sociedade como um todo, tenha a sensibilidade que existem profissionais empenhados com o bem comum.

CREA-PA: Para encerrar, aproveitando a data se hoje, qual o meio ambiente que você sonha em ver lá na frente?

ES: Assim, temos como maior inspiração a mudança comportamental de pessoas e empresas, que sentem a necessidade de atitudes mais sustentáveis e coerentes com o meio ambiente. Hoje, comemoramos o Dia Mundial do Meio Ambiente, aos demais dias sentimos a riqueza e a grandeza de fazermos parte do sistema. Que a data seja de reflexão e promoção de ações mais efetivas e congruentes.